São José do Rio Preto

A presente investigação buscou avaliar o alcance de práticas de Ensino-Aprendizagem de Geologia para formar uma cultura de sustentabilidade. Foi adotado o modelo de investigação de estudo de caso, por meio do desenvolvimento do Projeto Geo-Escola no município de São José do Rio Preto, situado na região noroeste do Estado de São Paulo. A experiência possibilitou que os participantes – professores de ciências e geografia – se apropriassem de saberes das geociências na construção de conhecimentos profissionais que, na qualidade de cidadãos, demandam. Vários recursos didáticos foram utilizados, com destaque para trabalhos de campo, que sensibilizaram os participantes e despertaram certa identidade com o meio que os cerca, na medida em que ofereceram vivência inestimáveL O processo expôs conceitos revelados na teoria, mas sobretudo levou-os a identificar, visualizar e compreender mais profundamente o ensino e a legitimá-lo. Se a investigação estruturou-se pela tese de que o conhecimento das geociências exerce papel especial na educação para sustentabilidade da vida, os resultados obtidos pennitiram confirmar que, na relação dinâmica do ensino-aprendizagem, o conhecimento de geologia é essencial para desenvolvimento cultural do cidadão terreno. Para formação do indivíduo planetário, as geociências, na medida em que promovem a consciência de identidade e pertinência requeridas para a cidadania planetária, introduzem perspectiva histórica, essencial para ajudar a construir um compromisso com o coletivo da vida no planeta. Conhecimentos de Ciências da Terra contribuem para democratização responsável, introduzindo sentimentos de solidariedade, valorização e respeito à vida. Assim, a pesquisa não somente revela potenciais, evidencia compromissos e sugere rotas, mas aponta para a resolução de problemas ambientais mais amplos, que envolvem sustentabilidade.

SJRP